O PROCESSO DE FORMAÇÃO TERRITORIAL BRASILEIRO A PARTIR DA REVOLTA DA VACINA - RIO DE JANEIRO/RJ (1904) ASSOCIADO COM O MOVIMENTO ANTIVACINA ATUAL (COVID-19)

  • Eduardo Seide Asanuma UEL
  • Rafaela Vieira Naiwerth UEL
Palavras-chave: Reterritorialização; Gentrificação; Corona-vírus.

Resumo

A formação territorial brasileira e constituição de um povo está repleta de violência, derramamento de sangue, autoritarismo e abuso de poder. O artigo discute como a revolta da vacina está ligada ao processo de formação do território do Brasil, discorre sobre as consequências geradas para a população e como esse processo do início do século XX vem ocorrendo na sociedade novamente mesmo passado um século associado ao COVID-19. Aponta também o contexto histórico da época demonstrando os eventos acontecidos no Rio de Janeiro para entender o motivo do ápice do descontentamento da população. Demonstra o posicionamento dos jornais em relação aos fatos. O procedimento metodológico se baseia em leituras de artigos, livros, jornais da época, leis, dados e compreensão de mapas. O artigo está estruturado em: introdução, materiais e métodos, referencial teórico, resultados e discussões, considerações finais e referências.

Referências

ANDREATTA, Verena. Atlas Andreatta: Atlas dos planos urbanísticos do Rio de Janeiro de Beaurepaire-Rohan ao plano estratégico: cartog. Rio de Janeiro: Vivercidades, 2008.
ASANUMA, Eduardo Seide. PEREIRA, Josirene Mariana. CAVATORTA, Mateus Galvão. Segregação territorial, social e urbana em Londrina (PR): Um estudo de caso com a população em situação de rua da região central. In: I SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOGRAFIA E GESTÃO TERRITORIAL E XXXIV SEMANA DE GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA. Anais. 2018, Londrina. p. 895-908.
BRASIL, Lei nº 1.261, de 31 de outubro de 1904. Torna obrigatorias, em toda a Republica, a vaccinação e a revaccinação contra a variola. Diário Oficial da União - Seção 1 - 2/11/1904, Página 5158.
CARVALHO, José Murilo de. Os Bestilizados - o Rio de Janeiro e a república que não foi. Companhia das Letras: São Paulo, 3ª edição, 1991.
COELHO, Luciana. Maioria quer que vacina para Covid seja obrigatória, mostra Datafolha. Folha de São Paulo. São Paulo, 10 out. 2020. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/10/maioria-quer-que-vacina-para-covid-seja-obrigatoria-mostra-datafolha.shtml. Acesso em: 13 nov. 2020.
CRESCÊNCIO, Cintia Lima. A revolta da vacina: higiene e saúde como instrumentos políticos. Biblos, Rio Grande, 2008.
JUNIOR, Kenneth Rochel de Camargo . Lá vamos nós outra vez: a reemergência do ativismo antivacina na Internet. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 36, n. 14, e00037620, Fev. 2020. Disponível em: http://cadernos.ensp.fiocruz.br/csp/artigo/1151/la-vamos-nos-outra-vez-a-reemergencia-do-ativismo-antivacina-na-internet. acessos em 15 Nov:. 2020. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00037620.
LEFEBVRE, Henri. A revolução urbana. Belo Horizonte: UFMG, 1999.
LEFBVRE, Henri. De l' État 4. Les contradictions de l' État moderne. Paris, UGE, 1978.
MAZZO, Aline. Adesão à vacinação contra COVID-19 cai, mostra Datafolha. Folha de São Paulo. São Paulo, 7 Nov. 2020. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/11/adesao-a-vacinacao-contra-covid-19-cai-mostra-datafolha.shtml. Acesso em: 13 Nov. 2020
MINISTÉRIO DA SAÚDE. Revista da Vacina. Disponível em: http://www.ccms.saude.gov.br/revolta/revolta2.html. Acesso em: 27 nov. 2019.
NASSARALA, Anna Paula Amaral; DOUMIT, Arthur Marinho; MELO, Caio Freitas; LÉON, Lucas Caldas; VIDAL, Rafael Augusto Reis; MOURA, Léa Resende. Dimensões e consequências do movimento antivacina na realidade brasileira. Revista Educação em Saúde: v7, suplemento 1, 2019, pp 120-125.
RAFFESTIN, Claude. Por uma Geografia do poder. Paris, 1980.
REVISTA DA SEMANA. Série de grandes obras - A avenida - O projeto do Governo. Rio de Janeiro, RJ: a Revista, 1903. 1 mapa, 71,5 x 47,3 cm. Disponível em: http://objdigital.bn.br/objdigital2/acervo_digital/div_cartografia/cart535290/cart535290.jpg. Acesso em: 28 nov. 2019. Disponível em: http://objdigital.bn.br/objdigital2/acervo_digital/div_cartografia/cart535290/cart535290.html. Acesso em: 28 nov. 2019.
RIBEIRO, Tarcyla Fidalgo. Gentrificação: aspectos conceituais e práticos de sua verificação no Brasil. Revista de Direito da Cidade. vol. 10, nº 3. ISSN 2317-7721 pp. 1334-1356.
RIO DE JANEIRO (Cidade). Secretaria Especial de Comunicação Social. 1904 - Revolta da Vacina. A maior batalha do Rio / Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.– A Secretaria, 2006. 120 p.: il.– (Cadernos da Comunicação. Série Memória)
SCHÄFER, Marcos guilherme; BULEGON, Jovana Simonetti; NEGRETE, Bruna Barcellos; PARISI, Mariana Migliorini. Movimento antivacina: sua origem e os impactos negativos na socieade atual. 6° Congresso Internacional em Saúde.
SEVCENKO, Nicolau. A Revolta da Vacina - mentes insanas em corpos rebeldes. Editora Brasiliense: São Paulo, 1984.
SILVA, Manoel Mariano Neto da; LIMA, Daniela Freitas de; JUNIOR, Almir Mariano de Sousa; CARVALHO, Carla Caroline Alves. Segregação socioespacial: os impactos das desigualdades sociais frente a formação e ocupação do espaço urbano. Revista Monografias Ambientais - REMOA v. 15, n.1, jan-abr. 2016, p.256-263.
SOUZA, Marcelo Lopes. ABC do desenvolvimento urbano – Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.
VASCONCELLOS-SILVA, Paulo Roberto; CASTIEL, Luis David and GRIEP, Rosane Härter. A sociedade de risco midiatizada, o movimento antivacinação e o risco do autismo. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2015, vol.20, n.2, pp.607-616.
World Health Organization (WHO). Draft landscapeof COVID-19 candidate vacines.21 July 2020. Geneva: WHO. [cited 2020 Jan 30]. Available from: https://www.who.int/publications/m/item/draft-landscape-of-covid-19-candidate-vaccines [ Links ]
Publicado
2021-02-16
Como Citar
Asanuma, E., & Vieira Naiwerth, R. (2021). O PROCESSO DE FORMAÇÃO TERRITORIAL BRASILEIRO A PARTIR DA REVOLTA DA VACINA - RIO DE JANEIRO/RJ (1904) ASSOCIADO COM O MOVIMENTO ANTIVACINA ATUAL (COVID-19). Congresso Brasileiro Da Guerra Do Contestad; Colóquio De Geografias Territoriais Paranaenses E Semana De Geografia Da UEL, 2, 83-99. Recuperado de http://anais.uel.br/portal/index.php/contestado/article/view/934