A HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE CRIANÇAS COM DM1: UTILIZAÇÃO DE UM HEALTH GAME

  • Debora Lydines Martins Corsino
  • Maria Lúcia Mantovanelli Ortolan
  • Vânia Maria Vargas
  • Leila Salomão de La Plata Cury Tardivo
Palavras-chave: Diabetes Mellitus Tipo 1, Crianças, Jogos digitais

Resumo

O Diabetes Mellitus tipo 1 é uma doença crônica que acomete milhares de crianças no mundo. Geralmente o diagnóstico do DM1 ocorre na fase inicial da vida, e produz grande impacto na rotina do infante por necessitar diversos cuidados alimentares e clínicos, como verificação da glicemia e aplicação de insulina. Sabe-se que esse impacto também produz consequências importantes no psíquico da criança que recebe o diagnóstico e dos familiares que a acompanham. Nesse sentido, ressalta-se a importância da presença de um profissional da psicologia em equipes multiprofissionais de atendimento às crianças com DM1. Entretanto, esse público conta com grande urgência para que a intervenção alcance resultados, visto que as algumas consequências da doença (perda da visão, amputação de membros, etc) são irreversíveis. Assim, o psicólogo necessita adaptar sua prática clínica e utilizar de metodologias estratégicas e criativas, para que consiga alcançar uma demanda por auxílio psíquico por parte do paciente, e intervir de forma resolutiva e eficaz. Em geral, o atendimento psicológico realizado com crianças possui o brinquedo como instrumento fundamental, entretanto com a ascensão de jogos digitais, as crianças tem perdido o interesse pelos brinquedos tradicionalmente utilizados na clínica. É neste contexto que surge o Gamellito Adventures, um health game, denominação que se refere a jogos específicos para a área da saúde, que possui como protagonista um extraterrestre que foi diagnosticado recentemente com DM1. O jogo possui como cenário o interior da nave em que Gamellito, o personagem extraterrestre, está viajando para pedir ajuda aos terráqueos. Ao manipular o jogo, a criança pode verificar a glicemia do Gamellito, aplicar insulina, fornecer os alimentos adequados, jogar os mini-games, além de auxiliá-lo em suas necessidades fisiológicas. Ainda em fase de finalização, por uma equipe que conta com profissionais de Computação, Design, Psicologia e colaborações de Médicos e Nutricionistas, espera-se que o jogo possa ser um mediador entre profissional e criança com DM1, afim de conseguir possibilitar uma intervenção divertida, criativa e próxima da realidade da criança. Portanto, entende-se que o jogo possui um caráter de humanização no atendimento de crianças com DM1.

Publicado
2018-03-20
Como Citar
Corsino, D. L. M., Ortolan, M. L. M., Vargas, V. M., & Tardivo, L. S. de L. P. C. (2018). A HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE CRIANÇAS COM DM1: UTILIZAÇÃO DE UM HEALTH GAME. Encontro Nacional De Saúde, Cultura E Arte-MCA, (8). Recuperado de http://anais.uel.br/portal/index.php/mca8/article/view/46
Seção
Resumos