CAPACITAÇÃO DE COMPORTAMENTOS EMPÁTICOS EM UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE

  • Josiane Cecília Luzia Universidade Estadual de Londrina
  • José Luciano Tavares da Silva Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Empatia, saúde, UBS

Resumo

Introdução: A empatia pode ser modelada e caracteriza-se por comportamentos de “colocar-se no lugar do outro”, com variáveis cognitivas, comportamentais e afetivas. Para tanto é necessário empenho e motivação, sendo capaz de inferir sobre os pensamentos e sentimentos do próximo sem necessariamente passar pelas mesmas experiências. No atendimento na área da saúde tal conceito é particularmente importante ao promover o bem-estar de servidores e pacientes, estabelecendo melhor relação de ajuda, atenção e respeito, aumentando inclusive a adesão dos pacientes ao tratamento. Objetivo: 1) avaliar a habilidade de empatia dos servidores e 2) capacitar servidores no contexto da saúde para práticas empáticas. Metodologia: Participaram da capacitação 12 funcionários de uma UBS de Londrina-Pr. Utilizou-se o instrumento Inventário de Empatia (IE), validado no Brasil e que avalia a tomada de perspectiva, flexibilidade interpessoal, altruísmo e sensibilidade afetiva. Foram ainda instituídas discussões sobre o tema e dinâmicas de grupo. Resultados: A maioria dos servidores obteve pontuação elevada no teste de empatia, apresentando possibilidade de refletir sobre o tema, autoconhecer-se a partir dos índices do inventário, além de discutir sobre a relevância desse comportamento no dia a dia. Considerações Finais: A importância de obterem-se índices elevados no instrumento é corroborada pela literatura consultada, notando-se que a capacitação é importante e auxilia na atualização do manejo com os pacientes. Finalmente, objetivando colaborar para a manutenção da integridade da saúde mental dos servidores, é também desejável que estes possam ter um espaço para reflexão, possibilitando tomar decisões sobre como melhor solucionar problemas que surgem no cotidiano.

Publicado
2020-09-18