O TRABALHO COM A LEITURA DE CRÔNICAS NO ENSINO MÉDIO

  • Kehtelim Mycaela Gois Universidade Estadual de Londrina
  • Maria Isadora Rosolen Camargo Universidade Estadual de Londrina
  • Rita de Cássia Sanches Gonçalves Universidade Estadual de Londrina
  • Sheila Oliveira Lima Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Leitura, Literatura, Crônica, Fruição

Resumo

Este trabalho é resultado das experiências do programa de Iniciação à Docência – PIBID – vinculado à disciplina de Língua Portuguesa, no colégio Estadual Marcelino Champagnat, de Londrina, sob observação da docente da instituição, Rita de Cássia Gonçalves, e orientação da professora doutora Sheila Lima, da UEL. O projeto voltou-se para a área de literatura e linguagem, com tema central, o gênero textual crônica, colocado em prática com estudantes do Ensino Médio, com o objetivo de promover o interesse pela leitura. A opção pelo gênero escolhido se deu pela subjetividade por ele imposto e para que os alunos adentrassem no universo da crônica, baseando-se nas leituras de mundo já construídas. As crônicas analisadas em sala pertencem aos autores: Luis Fernando Veríssimo, Rubem Braga, Fernando Sabino e Martha Medeiros. A realização das leituras se deu coletivamente e em voz alta. Em geral, os alunos ficaram apreensivos, pois era a primeira vez que estabeleciam contato com o gênero. Logo após a leitura, eles se sentiram mais seguros para apresentarem suas opiniões. Conclui-se que a literatura desenvolve no sujeito uma criticidade que é essencial, visto que, são alunos em final de formação, porém, o planejamento imposto visava a realização da leitura para um objetivo que era o de uma produção escrita, o que causou a perda do foco da leitura literária e exerceu no aluno uma função de obrigatoriedade. O presente trabalho considera que a leitura literária deve ocorrer em sala de aula, porém menos submetida a atividades que não admitam a fruição.

Publicado
2020-09-19