ESTRESSE DO RECÉM-NASCIDO NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL E A IMPORTÂNCIA DA HUMANIZAÇÃO

  • Francieli Ferreira de Andrade Batista
  • Carla Fernanda Tiroli
Palavras-chave: Estresse do Recém-nascido, Cuidados Humanizados, Unidade Terapia Intensiva Neonatal

Resumo

Introdução: A Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) são para os recém-nascidos (RNs) que precisam de cuidados especiais e intensivos. É um local bastante iluminado, barulhento, movimentado e é um gerador de estresse para os RNs. O estresse neonatal desequilibra o sistema neurovegetativo consequentemente influência em outros sistemas, como o cardiorrespiratório, o digestório levando o RN a uma exaustão física e mental. Objetivos: Identificar as causas do estresse neonatal e as estratégias que facilitem a prática da humanização no ambiente da UTIN. Metodologia: Este estudo foi realizado a partir da pesquisa bibliográfica, realizou-se uma busca nas bases de dados online BVS (Biblioteca Virtual em Saúde), LILACS (Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências da Saúde), e na biblioteca SciELO (Scientific Electronic Library on Line). Consideraram-se publicações entre o período de 2010 e 2016. Resultados e discussões: Os estímulos estressantes encontrados foram luminosidade, ruídos intensos, dor e excesso de manipulação. Algumas intervenções facilitam a adaptação do RN ao ambiente extrauterino, são várias as maneiras de atender o neonato de forma humanizada, como reduzir a luz, os níveis sonoros do ambiente e determinar horários de descanso. Oferecer o colo dos pais através do Método Mãe Canguru, estimula o desenvolvimento de laços afetivos, através do contato pele a pele, melhora o controle térmico, estabiliza suas funções vitais, como a oxigenação, os ritmos cardíaco e respiratório, diminui o choro e melhora seu desenvolvimento. Outro método eficaz, é o uso da rede de balança em incubadoras, durante o período de uso, os RNs demonstraram expressão de calma e tranquilidade. Considerações finais: A humanização dentro de uma UTIN é um processo importante para a melhoria da qualidade no atendimento ao prematuro, os profissionais devem procurar estabelecer estratégias que possibilitem o cuidado humanizado e adotar condutas que minimizem os estímulos ambientais adversos.

Publicado
2018-05-27
Seção
Artigos