VIVÊNCIA DE CLÍNICA AMPLIADA EM UM AMBULATÓRIO DE TOXICOLOGIA INFANTIL

  • Camila Cristiane Formaggi Sales
  • Tuanny Kitagawa
  • Ana Gabriela Gomes Ferrari Strang
  • Jéssica Torquetti Heberle
  • Magda Lúcia Félix de Oliveira
Palavras-chave: Saúde da Criança, Envenenamento, Equipe de Assistência ao Paciente, Comunicação Interdisciplinar

Resumo

INTRODUÇÃO: Clínica Ampliada consiste na articulação e diálogo de diferentes saberes para compreensão dos processos de saúde-doença, integrando abordagens multiprofissionais em um manejo eficaz da complexidade da atenção em saúde. O Ambulatório de Toxicologia Infantil (ATI) do Centro de Controle de Intoxicações do Hospital Universitário Regional de Maringá (CCI/HUM) promove o acompanhamento de egressos de intoxicação infantil, respeitando o contexto familiar e incentivando o uso de medidas simples de segurança e proteção à família. OBJETIVO: Relatar a experiência da prática multiprofissional no ATI, na perspectiva da Clínica Ampliada. METODOLOGIA: Relato de experiência, a partir da revisão de literatura e reflexão da vivência dos autores no ATI. RESULTADOS E DISCUSSÕES: O ATI atende crianças egressas de intoxicação e cadastradas no CCI/HUM. Este Centro é um serviço de atendimento multiprofissional às urgências toxicológicas, presta informações toxicológica à profissionais da saúde e à população leiga, por meio telefônico, online ou presencial. A equipe do ATI é composta por enfermeiros, psicólogos e médicos da equipe técnica do Centro, que supervisionam atividades ambulatoriais de alunos de graduação e pós-graduação em Enfermagem e Medicina. Com o pressuposto de que a abordagem integral à saúde de pessoas/famílias é facilitada pela soma de olhares de distintos profissionais da equipe de saúde, os encontros profissionais-crianças-famílias são operacionalizados em planejamento da assistência - quando profissionais de enfermagem acolhem as famílias por meio remoto para agendamento ambulatorial das crianças que necessitam de atenção pós-alta hospitalar; execução do atendimento - realizado com presença de membros da equipe-criança-família em um mesmo espaço físico, e cogestão profissional do cuidado; e a avaliação do caso após o atendimento ambulatorial - discussão da necessidade de encaminhamentos para serviços de referências na rede de atenção à saúde ou de acompanhamento pelo Programa de Visita Domiciliar ao Intoxicado do CCI/HUM. CONCLUSÃO: O atendimento multiprofissional na perspectiva da Clínica Ampliada favorece um ambiente para educação em saúde e possibilita que profissionais envolvidos no cuidado à criança intoxicada e sua família desenvolvam ações de maneira complexa, singular e também, coletiva.

Publicado
2018-05-27
Seção
Artigos