O PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM E O CUIDADO À CRIANÇA E SUA FAMÍLIA NO PROCESSO DE ADOECIMENTO, HOSPITALIZAÇÃO E MORTE: RELATO DE EXPERIÊNCIA

  • Bianca Regina de Barros Kirchchoff
  • Patrícia Franciele Tomasi Diogo
  • Luana Claudia Aires Passos
  • Lidiane Ferreira Schultz
Palavras-chave: Criança, Família, Enfermagem, Cuidado Centrado na Criança e Família

Resumo

INTRODUÇÃO: Experiências profissionais marcam nossas vidas e fortalecem a construção da identidade pessoal e profissional. OBJETIVO: Relatar a experiência frente ao cuidado de enfermagem realizado a uma criança e sua família durante o processo de adoecimento, hospitalização e morte. METODOLOGIA: Relato de experiências crítico, reflexivo realizado por alunas do curso de Graduação em Enfermagem de um município do Estado de Santa Catarina. RESULTADOS E DISCUSSÃO: A HISTÓRIA DE UMA PRINCESA: História relatada sobre uma menina que nomearemos de Princesa e sua família. Prematura, pesando 600 gramas, permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal e após obteve alta hospitalar. Sua reinternação foi por diagnóstico médico de pneumonia grave, entubada, permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica.CONSTRUINDO O VÍNCULO COM A CRIANÇA E A FAMÍLIA: Durante este período, o vínculo com a criança e a familia foi construído e destacamos a união, fortes relações e todo o cuidado existentes nesta família com a criança. APOIANDO A FAMÍLIA NOS PROCESSOS DE HOSPITALIZAÇÃO: Para família que vivencia o contexto de hospitalização do seu filho e necessita fazer a opção e autorização para a realização de qualquer procedimento, muitos sentimentos são relatados e o medo sobre a decisão a ser tomada era algo assustador nesta família. A abordagem adequada e o vinculo formado equipe-criança-família favoreceram as aproximações, conversas, apoio, orientações, informações e cuidado. TENDO ESPERANÇA, CUIDANDO E SUPERANDO OBSTÁCULOS PELA FAMÍLIA: O procedimento da traqueostomia na criança foi vivenciado pela familia como uma possibilidade de oferecer melhor qualidade de vida e a ida para o domicilio. Muitos obstáculos foram superados pela família e equipe de saúde nesta trajetória até a morte da criança. CONCLUSÃO: A história relatada, nos leva a refletir que profissional eu escolho ser? Como fazer parte da vida dessas crianças e suas famílias intervindo e ajudando a família frente a situação vivenciada? Como favorecer o empoderamento da família e auxiliar nas decisões que precisam ser tomadas? Como futuras enfermeiras, pretendemos ser profissionais que realmente façam diferença e tornar co-responsáveis não apenas pela saúde física mas pelo cuidado em uma dimensão bio-psiquica-social-espiritual.

Publicado
2018-05-27
Seção
Artigos