ISOLAMENTO HOSPITALAR PEDIÁTRICO: ATENÇÃO HUMANIZADA NO ATENDIMENTO EM ENFERMAGEM

  • Nicole Schulka
  • Luana Claudia dos Passos Aires
  • Lidiane Ferreira Schultz
Palavras-chave: Isolamento de Pacientes, Assistentes de Pediatria, Humanização da Assistência, Cuidado da Criança, Empatia

Resumo

INTRODUÇÃO: A criança que necessita de hospitalização já é acometida a certo isolamento social. O atendimento humanizado da se com grande importância quando se depara com questões de fragilidade emocional da vida humana, como ocorre durante uma situação de isolamento pediátrico (CARDIM, 2008). OBJETIVO: Relatar através de uma reflexão crítica sobre o atendimento à criança em isolamento hospitalar pediátrico. MÉTODO: Trata-se de um relato de experiência analítico descritivo realizado a partir das reflexões de uma acadêmica de Enfermagem, sobre as suas percepções quanto ao cuidado à criança em isolamento hospitalar. RESULTADOS E DISCUSSÕES: Durante o estágio no pronto socorro de um Hospital Infantil de referência no atendimento pediátrico para o norte do Estado de Santa Catarina, a acadêmica em Enfermagem da Instituição Educacional Luterana Bom Jesus – IELUSC teve a oportunidade de cuidar de uma paciente em isolamento por diagnóstico de herpes zoster. Quando trata-se de um isolamento por conta de uma patologia infecciosa, a criança passa a ser alocada em um quarto apropriado para tal, sendo isolada para sua proteção e para proteção dos demais. Seu espaço para o brincar também sofre limitações, podendo ser interpretado pela criança como um castigo. Frequentemente se faz presente as alterações bruscas de humor, o choro descontrolado, e a difícil compreensão de seu estado bio-psico-social potencializa essas características. Nesses casos, o isolamento não é apenas físico, mas também social, já que a criança fica impossibilitada de estar na presença de todos os seus amigos e familiares. É importante que a equipe de enfermagem esteja sensibilizada para usar de estratégias e tecnologias que favoreçam a aproximação com a criança, a partir de uma abordagem voltada para recreação e brincadeiras, como o uso do Brinquedo e Brinquedo Terapêutico, por exemplo. O profissional da enfermagem deve manter uma relação afável com o usuário e sua família, estando sempre disponível para dialogar. CONCLUSÃO: O cuidado humanizado em uma situação de isolamento pediátrico vai além da reabilitação física, mas também engloba o estado emocional, social e espiritual. O profissional que atua na pediatria tem sempre dois indivíduos para se atentar, sendo eles, a criança ou adolescente e o acompanhante.

Publicado
2018-05-27
Seção
Artigos