CONSTRUÇÃO DE BRINQUEDO TERAPÊUTICO PARA AVALIAÇÃO SUBJETIVA DE CRIANÇAS HOSPITALIZADAS

  • Lia Juliane Korzune
  • Débora Fernanda Vicentini Bauer
  • Geisa Marcela Perdigão
  • Renata Cristina Silva Baldo
Palavras-chave: Brinquedo terapêutico, avaliação, pediatria, dor, sentimentos

Resumo

INTRODUÇÃO: Cada criança difere na maneira como responde a eventos dolorosos, conforme suas variabilidades individuais associadas ao contexto em que vivem, e o uso do Brinquedo Terapêutico (BT) é ressaltado como ferramenta para amenizar à vivência dos eventos ocasionados pela hospitalização na criança. Atualmente, a gestão da dor na criança durante a assistência hospitalar é considerada padrão de qualidade e necessita de melhoria contínua, seu controle depende essencialmente da avaliação e reavaliação sistemática. OBJETIVO: Relatar a vivência teórico-prática da construção de um BT para avaliação da dor e dos sentimentos na criança hospitalizada. METODOLOGIA: Trata-se de um relato de experiência de uma graduanda de enfermagem, desenvolvida a partir de uma proposta de atividade prática de construção de um BT como estratégia de ensino-aprendizagem. RESULTADOS e DISCUSSÃO: Baseado nas escalas de avaliação de dor mais comumente utilizadas em pediatria, Claro e de faces Wong-Baker, e também nas barreiras encontradas na assistência a crianças hospitalizadas com a dificuldade de exteriorizar o que sentem, podendo ser uma experiência traumática se não for bem conduzida, foi criado um Painel para Avaliação Subjetiva em Pediatria, que possibilita à criança demonstrar seu desconforto de forma lúdica, facilitando a aproximação do profissional de saúde e permitindo uma reavaliação periódica da dor, da eficácia das escolhas terapêuticas e da necessidade de readequação nos cuidados prescritos. Diferentemente das escalas já existentes, o painel propõe que a criança indique o local e intensidade da sua dor, além de expressar sentimentos como alegria, tristeza, raiva e medo, não precisando se restringir a apenas um deles. CONCLUSÃO: Assim desenvolver o “Painel para Avaliação Subjetiva em Pediatria”, foi uma forma de instigar o protagonismo infantil na avaliação da dor através do brinquedo terapêutico. Além disso acredita-se na contribuição da estratégia de ensino como facilitadora e estimuladora do aprendizado sobre o tema.

Publicado
2018-05-27
Seção
Artigos