TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E PAPEL DA ENFERMAGEM: UMA REVISÃO NA LITERATURA

  • Natália Paladini de Oliveira
  • Julia Maria Ribeiro Correia de Mello
  • Heloyse de Andrade Pinto
  • Debora Fernanda Vicentini Bauer
  • Renata Cristina Silva Baldo
Palavras-chave: Cuidados de enfermagem, transtorno de déficit de atenção/hiperatividade, Criança e adolescente

Resumo

INTRODUÇÃO: O Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH) é a desordem comportamental mais comum na infância, tendo como sintomas níveis de atenção, concentração, atividade e impulsividade impróprios ao   desenvolvimento, geralmente descobertos na fase pré-escolar. OBJETIVO: Identificar evidências da literatura sobre o papel da assistência de enfermagem no diagnóstico e coordenação no cuidado de crianças com TDAH. METODOLOGIA: Trata-se de uma revisão bibliográfica baseada nas questões norteadoras “Como se caracteriza o papel da assistência de enfermagem no diagnóstico e no cuidado de crianças com TDAH? ”, com captura das publicações realizada sem limite temporal nas seguintes bases de dados: SciELO, MEDLINE. Os artigos encontrados foram avaliados criticamente de acordo com a questão norteadora e realizado análise descritiva simples. RESULTADO E DISCUSSÃO: Foram selecionados dois estudos, os quais revelam que o enfermeiro possui vários métodos e estratégias possíveis de serem exercidas com o paciente TDAH. Como desenvolver planos de cuidados específicos com o portador e sua família, colaborando no tratamento adequado do mesmo, desde o diagnóstico, realizando o acompanhamento individual ou em grupo. Com relação a alguns cuidados de enfermagem à criança, podemos citar: garantir um ambiente seguro; criar uma relação de confiança; oferecer situações de grupo;permitir um ambiente livre de distrações para realizar tarefas; avaliar quanto à alteração do humor, nível de atividade, grau de agitação e agressividade. CONCLUSÃO: Através do estudo, podemos concluir que o diagnóstico de TDAH deve ser feito precocemente para o início do tratamento adequado, proporcionando aos portadores e seus familiares uma melhoria da qualidade de vida. E nesta realidade o papel do enfermeiro é de extrema importância, desde a observação das maiores dificuldades do portador, até a obtenção de sucesso no tratamento.

Publicado
2018-05-27
Seção
Artigos