A VIVÊNCIA DAS MÃES NO MÉTODO CANGURU: REFLEXÕES DE UMA RESIDENTE DE ENFERMAGEM

  • Tâniélyn Tuan Testoni
  • Luana Cláudia dos Passos Aires
  • Lidiane Ferreira Schultz
Palavras-chave: Método Canguru, Vínculo, Recém-Nascido, Mãe-Filho, Sentimentos/Percepções

Resumo

Introdução: O Método Canguru (MC) surge no Brasil com a proposta de humanizar o atendimento ao recém-nascido hospitalizado, melhorando os cuidados prestados e reduzindo o tempo de separação entre a mãe e o seu filho, favorecendo o vínculo familiar (BRASIL, 2013). Objetivo: Relatar as reflexões de uma Enfermeira Residente em Saúde Materno-Infantil sobre a vivência das mães no Método Canguru. Metodologia: Trata-se de um relato de experiência realizado a partir das reflexões de uma Enfermeira Residente em Saúde Materno-Infantil sobre a participação das mães no MC, durante sua atuação em uma Unidade Neonatal Referência Estadual para o Método, localizada em Joinville - SC, no período de setembro a novembro de 2016. Resultados e Discussões: Durante a minha atuação, percebi a importância de entender a vivência das mães durante a realização do MC. O período de internação do bebê pré-termo é marcado pela assistência focada no recém-nascido, e a mãe muitas vezes desenvolve apenas o papel coadjuvante nos cuidados de seu filho. Percebe-se uma dificuldade da equipe de saúde em conciliar a assistência ao neonato e atender as necessidades emocionais das mães, incluindo-as nos cuidados do seu filho. Instrumentalizando os profissionais de saúde para que incluam as mães no processo de cuidado dos seus filhos, no qual, permite a mulher/mãe enfrentar com mais segurança, empoderamento e compreensão toda a internação do seu bebê, o que pode minimizar os efeitos negativos desse processo. Conclusão: O nascimento de um filho é um momento especial na vida da mulher, com diferentes significados, despertando emoções e sentimentos conforme suas vivências. Sensibilizei-me em valorizar esta experiência quando se trata de um nascimento prematuro, pois acredito que a mulher/mãe é protagonista desse momento e cabe a nós enquanto equipe ver o recém-nascido como um ser social que necessita de contato com a família. Sendo assim, o MC visa promover uma assistência humanizada e qualificada, a fim de favorecer o empoderamento da mãe no cuidado com o seu filho.

Publicado
2018-05-27
Seção
Artigos