CRIANÇAS E JOVENS EM TRATAMENTO DE EQUOTERAPIA E A PARTICIPAÇÃO TERAPÊUTICA DA FAMÍLIA: REVISÃO DE LITERATURA

  • Laio P. B M de Almeida
  • Aline Balandis Costa
  • Marco Antônio Queiroz Dell’Acqua
  • Luiza Ferreira Rigonatti
  • Natália Maria Maciel Guerra Silva
Palavras-chave: Família, Equoterapia, Educação em Saúde

Resumo

INTRODUÇÃO: O projeto de equoterapia é desenvolvido na Universidade Estadual do Norte do Paraná e atende crianças e jovens do município de Bandeirantes- PR e região à quase três anos. Consiste num método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas portadoras de deficiência e/ou de necessidades especiais (VALLE; NISHIMORI; NEMR, 2014). Devido a pouca idade e por apresentarem necessidades especiais, as crianças e jovens participantes do projeto se intimidam com o tratamento e com o animal utilizado na terapêutica. Atualmente, a literatura acerca do tema busca analisar qual a participação da família no apoio e na motivação aos indivíduos em tratamento assistido por cavalo. OBJETIVO: Descrever a produção científica relacionada à participação terapêutica da família no acompanhamento de pacientes em tratamento de equoterapia. METODOLOGIA: Trata-se de uma revisão de literatura realizada por busca nas bases de dados: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde e ScientificElectronic Library Online, utilizando os descritores e suas combinações: “Terapia Assistida por Cavalos”, “Família” e o descritor não controlado “Equoterapia”. Foram incluídos 09 estudos publicados entre 2012 a 2016. RESULTADOS E DISCUSSÃO: A família exerce importante papel na terapêutica de crianças e jovens em tratamento de equoterapia, portanto julga-se de extrema importância que seja orientada quanto à finalidade e ao funcionamento do tratamento e, ainda educada sobre sua participação efetiva para promover o apoio e a motivação, pois além dos estudos apontarem, observa-se na prática que os indivíduos em tratamento se sentem mais seguros e calmos durante a terapia quando na presença de algum familiar. CONCLUSÃO: A compreensão e participação efetiva da família no acompanhamento de crianças e jovens em tratamento de equoterapia proporcionam benefícios e favorece o engajamento do paciente na terapêutica proposta.

Publicado
2018-05-27
Seção
Artigos