CRIANÇA PRÉ-CIRÚRGICA DO HOSPITAL DO CORAÇÃO DE LONDRINA – UNIDADE BELA SUIÇA: RELATO DE EXPERIÊNCIA UTILIZANDO A OBRA “ A OPERAÇÃO DE LILI” DE RUBEM ALVES

  • Andrea Tognon Tomezak
  • Guilherme de Aquino Felix
  • Júlia Andréa Cardoso Pupin
  • Maria Tereza da Costa Carvalho
  • Samanta Soares dos Santos
Palavras-chave: Criança pré-cirúrgica, hospitalização, contação de história

Resumo

INTRODUÇÃO: A experiência da hospitalização revela-se para a criança como uma situação nova e desconhecida, que envolve modificações nas suas atividades rotineiras e de convívio social da qual esta habituada. Visando a sensibilização desse processo, com o intuito de desenvolver práticas pediátricas humanizadas junto aos pacientes e famílias no preparo cirúrgico, o Hospital do Coração – Unidade Bela Suíça implanta o Projeto: “Criança Pré-Cirúrgica”. ). OBJETIVO: O projeto objetiva preparar a criança e a família para procedimentos cirúrgicos por meio de orientações e cuidados adequados, humanizando a experiência da hospitalização, diminuindo o impacto hospitalar, e esclarecendo  aos pais e responsáveis dúvidas relativas a internação, estabelecendo assim uma relação de confiança entre família, instituição e equipe, de maneira a promover a saúde e auxiliar a criança na compreensão de sua hospitalização. MÉTODO: Participam do projeto crianças que estão em programação cirúrgica, portanto, semanalmente a equipe de apoio de Serviço Social e Psicologia faz contato com pais e responsáveis convidando-os para participação do atendimento que acontece semanalmente no período vespertino. O atendimento é iniciado com a contação da história “A Operação de Lili”, livro do autor Rubem Alves, que conta a historia de uma elefantinha, que precisava realizar uma cirurgia para retirar seu amigo sapo de sua tromba após uma brincadeira. Após leitura dinâmica, é realizado uma discussão acerca da história, relacionando-a com a cirurgia de cada criança em atendimento. Como auxilio no preparo para facilitar a internação cirúrgica, são manipulados materiais hospitalares (luva, touca, máscara) com o  objetivo de criar proximidade com o ambiente hospitalar, o qual será parte do cotidiano da criança e família nos dias de internação. RESULTADOS E DISCUSSÕES: As ações são realizadas por uma equipe multidisciplinar composta por assistente social, psicólogo e enfermeiros do centro cirúrgico. Reconhecendo a importância da avaliação do programa, em todas as reuniões é aplicado questionário pré-cirúrgico e durante a internação questionário pós-cirúrgico para os pais e responsáveis com o intuito de mensurar a avaliação dos participantes envolvidos no programa. CONCLUSÃO: Propiciar um ambiente hospitalar humanizado, com equipe multidisciplinar capacitada a acolher e orientar demandas psicossociais dos pacientes e familiares advindas do período cirúrgico.

Publicado
2018-06-19
Seção
Artigos