APLICAÇÃO DO BRINQUEDO TERAPÊUTICO POR ESTUDANTES DE ENFERMAGEM: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

  • Luana da Silva
  • Wellington Garcia Siqueira
  • Rosângela Aparecida Pimenta Ferrari
Palavras-chave: Criança, jogos e brinquedos, hospitalização, enfermagem pediátrica

Resumo

INTRODUÇÃO: hospitalização é um período traumático, estressante e angustiante para uma criança, pois é tirada de seu meio social sendo admitida num espaço desconhecido, lhe causando medo pelos fatores que a cercam. O Brinquedo Terapêutico (BT) proporciona à criança um ato humanizado através de brincadeira lúdica, em que ela possa transferir seus sentimentos para o brinquedo durante o ato de brincar. OBJETIVO: relatar a aplicação do BT à criança para o preparo préoperatório em unidade pediátrica. MÉTODO: Trata-se de uma pesquisa descritiva do tipo relato de experiência em hospital escola público, Londrina-PR, quanto à aplicação do BT por estudantes de Enfermagem no preparo pré-operatório com a participação da criança e sua mãe, em 2017. Previamente, os estudantes participam de encontros teórico-práticos. Posteriormente, duplas de estudantes aplicadores, cumprem escala diária de atendimento na unidade. Após aplicação avalia-se a necessidade de outras sessões, pois a criança poderá ser submetida a procedimentos que poderão ser orientadas mediante as novas sessões. RESULTADOS: Criança de cinco anos, sexo feminino, internada para procedimento cirúrgico. Realizou-se abordagem inicial solicitando autorização da mãe e criança. Preparou-se a boneca conforme características da criança favorecendo associação, facilitando o processo de transferência de seus sentimentos para a boneca. A criança mostrou-se à vontade verbalizou quanto aos procedimentos que realizava no boneco, refletindo procedimentos que foi submetida na internação. A criança transpassou para o boneco características e singularidades que englobavam seu cotidiano, como o nome escolhido, gostos e desagrados. Sua acompanhante a estimulava a verbalizar sobre suas vontades e desejos, que eram atendidas por respostas curtas. Na sessão do BT questionou-se a criança o motivo da internação, respondeu que sabia, porém, encontrava-se receosa com o procedimento, portanto através da aplicação do BT conseguiu-se explicar o procedimento e acalmá-la, assim como dialogar com a mãe, que ressaltou a importância desse projeto dentro da unidade pediátrica. CONCLUSÃO: A aproximação de estudantes de enfermagem e estabelecimento de vínculo, com crianças e mães, no ambiente hospitalar requer diálogo, acolhimento e estratégias como o BT, minimizando o estresse e possibilitando a criança expressar seus sentimentos, auxiliando o profissional reconhecer singularidades do infante e estabelecer confiança com este. 

Publicado
2018-06-19
Seção
Artigos