TURISMO E DESENVOLVIMENTO NO TERRITÓRIO DO ARQUIPÉLAGO DE BAZARUTO EM MOÇAMBIQUE

  • Francisco Fransualdo de Azevedo
  • Verónica Cecílio Chiundila2
Palavras-chave: Turismo; Território; Desenvolvimento; Arquipélago de Bazaruto; Moçambique

Resumo

A presente pesquisa baseia-se numa aproximação sobre a essência das abordagens contemporâneas acerca do
desenvolvimento problematizando o papel do turismo, e a necessidade e de melhorias das condições de vida da
comunidade local, discutindo também o papel das políticas públicas e das ações do Estado. Traz-se uma reflexão
sobre os indicadores sociais com base em fatores que influenciam e condicionam o desenvolvimento.
Problematiza-se o turismo como atividade econômica, mas também como um fenômeno socioespacial mediado
pela influência do mercado, cuja força das empresas visam essencialmente à acumulação do capital mundializado.
O estudo focaliza uma abordagem qualitativa, com ênfase na análise bibliográfica e documental, dialogando com
autores que abordam as políticas públicas na contemporaneidade, bem como autores que problematizam o turismo
e o desenvolvimento, especialmente aqueles que sinalizam para a valorização das pessoas e dos grupos sociais. Para
empiricizar o debate teórico foi trabalhado um questionário direcionado à gestão do Parque Nacional do Bazaruto,
bem como se utilizou da análise de dados de fontes oficiais, sejam de instituições estatais ou empresas. Depreendese
que as grandes empresas atuam na regulação do espaço, ocupando os lugares privilegiados, cuja rede de
empreendimentos turísticos, localizados na orla marítima usam (e abusam) o território, em contraposição às
comunidades locais, relegadas à vulnerabilidade e exclusão social, as quais não praticamente não usufruem da
riquela que o território dispõe. A estas (comunidades), resta ascender através da resistência e da luta por meio de
forças participativas articuladas no território, buscando contrapor as forças e ações hegemônicas do mercado.

Publicado
2018-11-28