MEMÓRIA INVISÍVEL: A IDENTIDADE TERRITORIAL DOS “ESQUECIDOS” EM LONDRINA

  • Tatiana Colasante
Palavras-chave: Território. Cultura marginalizada. Ingleses.

Resumo

O artigo analisa a relação entre território, cultura e identidade em uma perspectiva relacional e processual,
enfatizando o caráter simbólico do território. Investiga como são construídas as identidades territoriais por
intermédio da influência cultural de diversos grupos sociais que resultam em uma coesão social, ao mesmo tempo
em que também são forjadas por diferentes agentes sociais como forma de mercantilizar a cultura. O recorte
espacial é o município de Londrina-PR, que possui especificidades no seu processo de ocupação e colonização por
receber dezenas de etnias ao longo dos anos, conferindo um caráter multicultural ao território. Discute-se a
imposição de uma identidade territorial baseada em elementos da cultura inglesa pelo poder público e privado
como estratégia de marketing, aproveitando-se do fato de Londrina ter sido oficialmente colonizada por ingleses.
Contatou-se que há uma cultura marginalizada e esquecida, frequentemente omitida nos registros oficiais da
história do município que leva ao questionamento sobre o pioneirismo dos ingleses no processo de ocupação.
Destaca-se a importância dos índios e caboclos nos anos iniciais de constituição do município e, posteriormente a
contribuição dos negros, sobretudo, como expressão de resistência. Além destes, os nordestinos, também foram
de suma importância na formação da identidade territorial londrinense.

Publicado
2018-12-05