DESTERRITORIALIZAÇÃO E RETERRITORIALIZAÇÃO DA POPULAÇÃO DE BENTO RODRIGUES

  • Breno Totti
  • Filipe Tadashi
  • Giuliano Viana
  • Jéssica Figueiredo
  • Maiara Viana
  • Rochele Tambosi
  • Carla Madureira
  • Gislene Santos
  • Naíse Peixoto
Palavras-chave: território; desterritorialização; reterritorialização

Resumo

O trabalho visa trazer a luz às questões relacionadas ao crime cometido pela SAMARCO que
atingiu cidades do distrito de Mariana, tendo como área de estudo a cidade de Bento Rodrigues. Foi
abordado no trabalho a questão da desterritorialização da população de Bento Rodrigues e em qual grau,
bem como se há, em certa medida, algum grau de reterritorialização na cidade de Mariana através de
práticas que antes realizadas no antigo Bento. Fez-se necessário para execução da pesquisa entender como
se dão as relações com o território que, são dotadas de diferentes aspectos imateriais que abrangem um
viés sociocultural, logo, o ser social é também personagem principal na construção do território com a
presença da sua identidade cultural. Foi analisado, então, se o crime cometido dizimou não só o espaço
físico de Bento, mas também as relações construídas ao longo do tempo. Para isso, foi utilizada uma
metodologia de entrevistas em Mariana com a população do antigo Bento que reside no local, a fim de
compreender como era a realidade desta população antes e após o crime. Ao final do processo de pesquisa
foi constatado que houve um processo de desterritorialização de forma violenta e que, apesar das
tentativas dos ex-moradores de Bento, a retomada das práticas se dá de forma lenta e gradual por fatores
diversos, sendo alguns a dificuldade de adaptação ao local e ao novo modo de vida.

Publicado
2018-12-05