Relato de experiência: rádio arritmia - consertando as batidas do seu coração: música e entretenimento em uma unidade coronariana

  • Beatriz Maria dos Santos Santiago Ribeiro Universidade Estadual de Londrina
  • Vladimir Araujo da Silva Universidade Estadual de Maringá
  • Franciele Sartori Furlan
  • Francisca de Souza Gomes
  • Sonia Silva Marcon Universidade Estadual de Maringá
Palavras-chave: cuidados de enfermagem, terapias complementares, musicoterapia

Resumo

O presente artigo trata de um relato de experiência, que objetivou descrever uma estratégia de intervenção musical, no contexto da comunicação interpessoal, implementada por enfermeiros de uma Unidade Coronariana de um hospital geral do Norte do Paraná-PR. A estratégia articulava audição musical, comunicação interpessoal e teatralização de uma rádio denominada Arritmia, contracenada por enfermeiros e pacientes entre os meses de outubro de 2011 a julho de 2012. As músicas eram selecionadas pelos pacientes e interpretadas, ao vivo, por um enfermeiro músico com experiência clínica pregressa. A programação consistia em: momento sertanejo, momento louvor, previsão do tempo e horóscopo. Tudo era motivo de muita alegria e entretenimento. A jornada de trabalho da nossa equipe era 12 x 36 h, os pacientes perguntavam, ansiosos, quando a “rádio entraria no ar”. Era impressionante a disponibilidade de participação, o envolvimento e a entrega dos pacientes que, literalmente, “entravam no clima”. Certo dia, um paciente até ofereceu a música escolhida para os seus familiares que estavam “ouvindo a rádio”.  Ponderando que a insipidez do ambiente hospitalar pode potencializar os níveis de estresse, ansiedade e depressão, mas, sobretudo, acreditando na humanização do cuidado, reitera-se a importância das práticas integrativas e complementares na assistência de enfermagem, como possibilidade de intervenção terapêutica nesse contexto.

Publicado
2018-11-08