A CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS E A QUALIFICAÇÃO DO PROFISSIONAL PARA UMA DEMANDA AFETIVA

  • Gustavo Foz Fonseca Universidade Estadual de Londrina
  • Camila Alves Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Humanização, Contação de Histórias, Saúde

Resumo

Há na área da saúde, hoje, uma demanda não só técnica, mas também afetiva. Os profissionais dessa área são convocados, cada vez mais, a comparecer na relação paciente-profissional de forma personalizada, acolhedora, sensível e humanizada. A arte de contar histórias, por sua vez, se mostra como uma atividade que possibilita o despertar de afetos e significações e o redescobrir a si mesmo. Partindo desses princípios, o presente estudo buscou entender como a contação de histórias no projeto “Sensibilizarte: a arte como instrumento para humanização na formação e no cuidado em saúde” possibilita aos graduandos e futuros profissionais de saúde, um melhor preparo para lidar com esse tipo específico de demanda não técnica na sua atuação profissional. Baseado na leitura e no levantamento bibliográfico sobre a arte de contar histórias e sua relação com a humanização, buscou-se investigar como esse tipo de arte possibilita a vivência dos afetos por ambas as partes na relação profissional. Como resultado, depreendeu-se que o contar histórias ultrapassa a barreira do imaginar e integra ações concretas que, verdadeiramente, auxiliam na melhora do paciente. Além disso, permite ao contador estabelecer uma comunicação distinta da usual, na maioria das vezes rígida e técnica. Nesse sentido, muitas vezes através da identificação com as personagens, o emocionar-se traz de volta os significados perdidos com a ausência de identidade e autonomia do paciente no ambiente hospitalar, em especial nos casos de internação. Mobilizada, assim, a potência afetiva dos pacientes, a arte de contar histórias coloca o graduando, e futuro profissional, em uma posição de experienciar, como aquele que além de contar, escuta o aflorar de sentimentos e emoções.  A partir dessas vivências, a contação de histórias prepara, molda e auxilia o profissional a perceber e a lidar, de forma mais humanizada, com as demandas afetivas que são colocadas pelos pacientes.

Publicado
2019-08-26