CONSIDERAÇÕES ACERCA DAS VERTENTES DE ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO EM UM SERVIÇO DE ACONSELHAMENTO GENÉTICO

  • Jessica Yumi Ueno Universidade Estadual de Londrina
  • Gabriela Sabino Universidade Estadual de Londrina
  • Eneida Silveira Santiago Universidade Estadual de Londrina
  • Wagner José Martins Paiva Universidade Estadual de Londrina
  • Renata Grossi Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Aconselhamento Genético, Psicologia Organizacional, Psicoeducação

Resumo

Resumo: O Serviço de Aconselhamento Genético (SAG) da Universidade Estadual de Londrina (UEL) é um serviço gratuito de saúde, prestado à comunidade externa, no qual participam aproximadamente 80 colaboradores atuando de maneira multidisciplinar. Levando em consideração o número relativamente grande de colaboradores, as atividades realizadas, que envolvem contato direto com o usuário, e as atividades internas ao SAG, relacionadas ao contato entre membros e equipes, nota-se diferentes formas de atuação exercidas pelo  aluno ou profissional de Psicologia, que possibilitam um trabalho mais humanizado no Serviço. O presente trabalho tem como objetivo apresentar, a partir de um relato de experiência, as diversas vertentes de atuação que um estudante ou profissional de psicologia pode vivenciar durante sua participação no SAG UEL. Partindo do relato de uma colaboradora sobre sua atuação, seu  contato com as diferentes frentes de ação do Serviço, assim como, suas experiências em campo ao longo de três anos, foram levantadas as seguintes possibilidades de trabalho disponíveis ao colaborador da Psicologia e seu papel na humanização do Serviço: entrevista inicial: comportamentos de sensibilidade diante de não-verbais (gestos, postura, contato visual); devolutiva de resultados: acolhimento e psicoeducação perante termos médicos; administração de comportamentos: considerados adequados ao ritmo e demanda de cada colaborador; processos humanos: estabelecimento de cultura de feedback entre membros; pesquisa: olhar voltado para o multidisciplinar e o ser humano como biopsicossocial. Conclui-se que o psicólogo, estando apto a considerar o comportamento como multideterminado e compreendendo a relevância de eventos encobertos nas atitudes dos indivíduos, auxilia a tornar o ambiente interno do SAG mais estruturado e ciente dos antecedentes e consequências das atividades realizadas, além de atuar ativamente, enquanto equipe multidisciplinar de um Serviço de Aconselhamento Genético, na humanização de todo o processo percorrido pelo usuário, refletindo no atendimento das famílias e construindo, assim, uma rede de apoio segura. O profissional da Psicologia nem sempre compõe a equipe multidisciplinar de um Aconselhamento Genético. Ressalta-se, portanto, a relevância de pesquisas serem realizadas no meio acadêmico, principalmente no que tange ao fato de que Serviços de Aconselhamento Genético podem e são oferecidos gratuitamente, pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Publicado
2019-07-26