Eu-cidade: percepções do outro em tempos de redes sociais – uma analogia da arquitetura de vidro com os dispositivos móveis

  • Gina Viviane Mardones Loncomilla Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Solidão, Corpo, Imagem, Redes sociais, Fenomenologia

Resumo

Considerada a epidemia do século XXI, a solidão em sua concepção patológica tem dominado as discussões que permeiam as relações interpessoais. No entanto, para além do quadro clínico, é necessário confluir as análises para uma esfera psicossocial. Assim, este artigo propõe-se a discutir o atual estado de solidão subjacente nas redes sociais como uma consequência da atrofia das experiências humanas típica do sistema capitalista. Para isso utilizaremos a metáfora do vidro, fazendo uma analogia da arquitetura expressionista com os dias de hoje. A metodologia passa pelas discussões teóricas da fenomenologia da percepção de Merleau-Ponty, bem como os estudos da relação homem-máquina de Sherry Turkle. Pretende-se, desta forma, compreender o por quê migramos para as relações do mundo virtual em detrimento das experiências reais.

Biografia do Autor

Gina Viviane Mardones Loncomilla, Universidade Estadual de Londrina

Fotojornalista e Mestranda em Comunicação pela Universidade Estadual de Londrina – UEL.

Publicado
2019-02-13
Como Citar
Loncomilla, G. (2019). Eu-cidade: percepções do outro em tempos de redes sociais – uma analogia da arquitetura de vidro com os dispositivos móveis. COMCID - Encontro De Pesquisadores De Comunicação E Cidade, 1, 88-102. Recuperado de http://anais.uel.br/portal/index.php/comcid/article/view/514
Seção
Anais