O audiovisual e a produção de capital simbólico indígena na cidade

  • Mônica Kaseker Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: audiovisual, indígenas, universidade, cidade

Resumo

O paper discute a comunicação audiovisual como ferramenta para promover a inserção e permanência do indígena na universidade, compreendendo-a como articuladora de conexões e territorialidades e organizadora de narrativas, assim como propagadora de representações simbólicas de ocupação do campo acadêmico. Apresenta como objeto de análise o processo de produção da série de autobiografias étnico-comunitárias por estudantes indígenas que participam do Ciclo de Iniciação Acadêmica Intercultural (Ciclo), da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Nas narrativas de vida dos estudantes, a universidade aparece como um espaço a ser conquistado pelos povos indígenas e ainda como uma forma de fortalecer suas lutas. Toma-se por base, o conceito de campo de Pierre Bourdieu. A comunicação audiovisual mostra-se como mediadora dos processos de fortalecimento da identidade indígena e de interculturalidade, não somente na universidade, como também no espaço urbano.

Biografia do Autor

Mônica Kaseker, Universidade Estadual de Londrina

Mônica Kaseker é jornalista, doutora em Sociologia (UFPR/UAM-X), é professora do curso de Graduação em Jornalismo e do Mestrado em Comunicação da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Publicado
2019-02-13
Como Citar
Kaseker, M. (2019). O audiovisual e a produção de capital simbólico indígena na cidade. COMCID - Encontro De Pesquisadores De Comunicação E Cidade, 1, 145-156. Recuperado de http://anais.uel.br/portal/index.php/comcid/article/view/518
Seção
Anais