MULHERES SEM ROSTO E OBLITERADAS NO CHÃO PATRIARCAL DO CONTESTADO:

O PAPEL E ATUAÇÃO DA MULHER CABOCLA, PARA ALÉM DA LIDERANÇA FEMININA NA GUERRA DO CONTESTADO

  • Nilson Cesar Fraga Universidade Estadual de Londrina
  • Victória Jandira Bueno Universidade Estadual de Londrina
  • Heloísa Fernanda Muniz Silva Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Guerra do Contestado, Mulheres Caboclas, Lideranças Femininas do Contestado

Resumo

O presente trabalho versa sobre o papel das mulheres que atuaram durante a Guerra do Contestado, mostrando personagens femininos que antecedem a guerra, trazendo o debate sobre a permanência de algumas figuras icônicas do Contestado até o presente. É uma pesquisa exploratória baseada em fontes secundárias tendo como base o papel feminino no decorrer da história secular cabocla, assim como referências que tratam da mulher sertaneja cabocla. A obliteração do papel feminino na Guerra do Contestado exige o rompimento do silêncio imposto por fontes oficiais e relatos militares registrados durante o conflito ocorrido entre 1912 e 1916, oficialmente. O papel de liderança da cabocla Maria Rosa acaba centralizando o ensaio, mas o mesmo aponta outras mulheres que demandam estudos futuros para que melhor se possa entender o desenrolar da guerra e da formação socioterritorial do Contestado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victória Jandira Bueno, Universidade Estadual de Londrina

Estudante de Geografia

Bolsista de Iniciação Científica da Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná

Heloísa Fernanda Muniz Silva, Universidade Estadual de Londrina

Estudante de Geografia

Bolsitas de IC do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq

Referências

AMADO, Janaína. Região, Sertão, Nação. In: Estudos Históricos. Rio de Janeiro, RJ. Vol. 8, 1995, p. 145-151.
CLAVAL, Paul. A Geografia Cultural. 3. ed. Florianópolis: UFSC, 2007.
FRAGA, Nilson Cesar. Geografias de tempos de dominação e barbárie: os movimentos socioterritoriais e as escolhas geográficas que negligenciam a formação territorial do Brasil. In: A Dimensão política no espaço: conflitos e desigualdades territoriais na sociedade contemporânea. Organizadores: Flamarion Dutra Alves [et al.]. Alfenas, MG: Editora Universidade Federal de Alfenas, 2019, p. 84-114.
FRAGA, Nilson Cesar. STRADIOTO, Paulo Alessandro. Geografia Jurídica do(no) Contestado: o processo contra Adeodato Manoel Ramos, 1917, na Comarca Curitibanos. Alfenas, MG, 2019.
FRAGA, Nilson Cesar. Turismo de Guerra: a possibilidade de novo tipo de turismo para o Brasil. Marco inicial – guerra do Contestado (1912-1916). Revista PerCurso: Curitiba em Turismo, 2002, ano 1, n. 1, p. 43-76.
FRAGA, Nilson Cesar. Contestado: A Grande Guerra Civil Brasileira. In: REZENDE, C. J; TRICHES, I. Paraná, Espaço e Memória – diversos olhares histórico-geográficos. Curitiba: Ed. Bagozzi, p. 228-255, 2005.
FRAGA, Nilson Cesar. Mudanças e permanências na rede viária do contestado: uma abordagem acerca da formação territorial no Sul do Brasil. Tese (Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba – PR, p.188, 2006.
FRAGA, Nilson Cesar. Contestado em Guerra: 100 anos do massacre insepulto do Brasil. Florianópolis: Editora Insular, 2012.
FRAGA, Nilson Cesar. Um território de invisibilidade e miséria: cem anos da maior guerra camponesa da América do Sul. In: Arno Wehling; Augusto César Zeferino; Aureliano Pinto de Moura; Gunter Axt; Helen Crystine Sanches. (Org.). 100 Anos do Contestado: memória, história e patrimônio. Florianópolis: Ministério Público de Santa Catarina, 2013, p. 369-392.
FRAGA, Nilson Cesar. Matos Costa, desde São João dos Pobres, um brilhante município planaltino no Contestado catarinense. 2013. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2020.
FRAGA, Nilson Cesar. Timbó Grande, o último reduto – Município planaltino do Contestado Catarinense, cidade das meninas de lábios de mel. 2014. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2020.
FRAGA, Nilson Cesar. Vale da Morte: o Contestado visto e sentido - "entre a cruz de Santa Catarina e a espada do Paraná". Blumenau: Editora Hemisfério Sul, 2015.
FRAGA, Nilson Cesar. Semana do Centenário do Massacre de Santa Maria, Timbó Grande (22 de março de 2015). Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2020.
FRAGA, Nilson Cesar. A Guerra do Contestado como crime contra a humanidade: o direito à terra e à vida - (in)certezas sobre o mundo caboclo. FÖETSCH, Alcimara Aparecida; GEMELLI, Diane Daniela; Buch, Helena Edilamar Ribeiro (Org.). Geografia do Contestado: 50 anos de fazer Geográfico. Curitiba: Íthala, 2016, p. 29- 44.
FRAGA, Nilson Cesar. Contestado, cidades, reflexos e coisificações geográficas. Florianópolis: Editora Insular, 2016.
FRAGA, Nilson Cesar. Contestado, o território silenciado. Florianópolis: Insular, 2017a.
FRAGA, Nilson Cesar. Contestado: redes no Geográfico. Florianópolis: Editora Insular, 2017b.
FRAGA, Nilson Cesar. Territórios e Fronteiras: (Re)arranjos e Perspectivas. Florianópolis: Editora Insular, 2017c.
FRAGA, Nilson Cesar. Araucaria angustifolia - ganância, imediatismo e extermínio na região do Contestado. In: Nilson Cesar Fraga. (Org.). Contestado, o território silenciado. 2ª ed. Florianópolis, SC: Insular, 2017, p. 269-296.
FRAGA, Nilson Cesar. Território e Silêncio: contributos reflexivos entre o empírico e o teórico. In: Nilson Cesar Fraga. (Org.). Territórios e Fronteiras: (Re)arranjos e Perspectivas. 2ª ed. Florianópolis, SC: Editora Insular, 2017, p. 73-90.
FRAGA, Nilson Cesar. A Cidade Coração do Contestado, história, presente e desafios. 2018. Disponível em . Acesso em: 15 jul. 2020.
FRAGA, Nilson Cesar. Coração do Contestado: o reconhecimento e os desafios de um município catarinense, palco central da Guerra do Contestado. 2018. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2020.
FRAGA, Nilson Cesar. Dossiê Vale do Contestado. Ouvidoria do Ministério Público de Santa Catarina. Manifestação n. 20.28.1308.0029282/2019-16, 2019b, 38 p.
FRAGA, Nilson Cesar. Vale do Contestado, uma morte anunciada, em julho de 2019, pelos que não aceitam a existência da cultura cabocla. 2019. Disponível em: . Acesso em: 28 jun. 2020.
FRAGA, Nilson Cesar. Vale do Contestado, uma morte anunciada, em julho de 2019, pelos que não aceitam a existência da cultura cabocla (02 de setembro de 2019). Disponível em: < http://desacato.info/vale-do-contestado-uma-morte-anunciada-em-julho-de-2019-pelos-que-nao-aceitam-a-existencia-da-cultura-cabocla/>. Acesso em: 27 jul. 2020.
FRAGA, Nilson Cesar. Território do Contestado - Sul do Brasil: a Civilização Cabocla e a Guerra do Contestado. 2020. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2020.
FRAGA, Nilson Cesar; HOBAL, Michele Aparecida; FERNANDES, Rafael Carlos Prieto. Turismo de Guerra – o roteiro turístico como elemento de desenvolvimento local e regional para o interior na perspectiva de que o “Brasil oferece mais do que praias e carnaval”. Curitiba. PerCurso: Curitiba em Turismo, Faculdades Integradas Curitiba, a. 5, n. 5, 2006, p. 137-186.
FRAGA, Nilson Cesar; GOLÇALVES, Cleverson. Timbó Grande, o último reduto do Contestado: um território de muitas batalhas. In: Contestado: cidades, reflexos e coisificações geográficas. Org. FRAGA, Nilson Cesar. Florianópolis: Editora Insular, 2016.
FRAGA, Nilson Cesar; GONÇALVES, Cleverson; CAVATORTA, Mateus Galvão. Contestado: o sagrado e o profano de uma guerra secular. Geografia (Londrina), v. 26, n. 1, p. 143-157, 2017.
FILHO, Fadel David Antonio. Sobre a palavra “Sertão”: Origens, significados e usos no Brasil (do ponto de vista da ciência geográfica). In: Ciência Geográfica. Bauru, SP. Vol. 15, 2011
HAESBAERT, Rogério. Território, cultura e des-territorialização. In: ROSENDAHL, Zeny; CORRÊA, Roberto L. (Org.). Religião, identidade e território. Rio de Janeiro: UERJ, 2001.
JMAIS. Consulta Pública vai discutir conservação de gruta (04/07/2016). Disponível em: . Acessado em 14 Nov. 2020.
MORAES, Antonio Carlos Robert. O Sertão. In: Terra Brasilis. 2003. Disponivel em < http://terrabrasilis.revues.org/341>. Acessado em 03 Jul. 2020.
MST. Defender o Maria Rosa do Contestado é reafirmar nossa humanidade. Disponível em: https://mst.org.br/2020/08/20/artigo-defender-o-maria-rosa-do-contestado-e-reafirmar-nossa-humanidade/, acessado em 14 Nov. 2020.
QUEIROZ, Maurício Vinhas de. O Messianismo e Conflito Social (A Guerra Sertaneja do Contestado: 1912-1916). 2° ed. São Paulo, SP. Ática, 1977.
RAFFESTIN, Claude. Por uma Geografia de Poder. São Paulo, SP. Ática, 1993.
VASCONCELLOS, Aulo Sanford de. Chica Pelega - a guerreira de Taquaruçu. Florianópolis: Editora Insular, 2008.
Publicado
2021-02-17
Como Citar
FRAGA, N.; BUENO, V.; SILVA, H. MULHERES SEM ROSTO E OBLITERADAS NO CHÃO PATRIARCAL DO CONTESTADO:. Congresso Brasileiro da Guerra do Contestado; Colóquio de Geografias Territoriais Paranaenses e Semana de Geografia da UEL, v. 2, p. 120-140, 17 fev. 2021.