O Sensibilizarte como dispositivo de humanização na formação em saúde

  • Ana Carolina de Moraes Silva Universidade Estadual de Londrina
  • Maíra Bonafé Sei Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Formação acadêmica, Humanização em Saúde, Recursos expressivos

Resumo

A Política Nacional de Humanização, criada em 2003, almeja, a partir do apoio institucional, construir novas formas de cuidar e gerir em saúde. Diante dos princípios da Humanização, foi criado em 2007, na Universidade Estadual de Londrina, o projeto de extensão “SensibilizArte”, que permite a aproximação de estudantes de cursos da saúde com a atuação de forma humanizada e a utilização de recursos expressivos em hospitais. Tendo esse projeto como objeto de estudo, busca-se compreender o papel do SensibilizArte dentro da Política de Humanização em Saúde, refletindo sobre o impacto da experiência extensionista em profissionais da saúde, ex-integrantes do projeto. Trata-se de uma pesquisa qualitativa de caráter exploratório, realizada a partir de um roteiro de entrevista semidirigida com profissionais, ex-integrantes da frente da Contação de Histórias. Com fins de ilustração, apresenta-se um recorte do relato de 5 participantes, com foco em suas percepções sobre o papel do projeto em sua formação. Os dados obtidos demonstraram o impacto de contar histórias no contador, a partir de autoconhecimento e desenvolvimento de competências. Pontua-se o projeto de extensão como propiciador de pensamento crítico e trabalho multidisciplinar. Discute-se a vinculação dos participantes ao SensibilizArte frente às questões de Humanização em Saúde, correlacionando a prática do projeto e a Política Nacional de Humanização. Conclui-se que o projeto de extensão se configura como um dispositivo de práticas humanizadoras, propiciando a formação de pessoas em prol de mudanças na área da saúde.

Publicado
2018-10-02