O Brincar na aula de Ballet Clássico de adultos

Apontamentos Winnicottianos

Palavras-chave: Psicanálise, Brincar, Constituição do Sujeito

Resumo

O presente trabalho visa investigar, por meio de uma entrevista com uma professora de dança, como se dá o brincar do adulto em uma aula de ballet clássico. Para tanto, recorre-se à teoria psicanalítica de Winnicott com o intuito de compreender as implicações de seus conceitos na experiência relatada pela participante. Observou-se, a partir da entrevista, que o adulto é capaz de brincar ao passo que substitui a atividade infantil por palavras e metáforas criativas que assumem a função do brincar, conforme exposto no relato.

Biografia do Autor

Raphael Edson Dutra, Universidade Estadual de Londrina

Graduado em Psicologia, e formação de Psicólogo, pela Faculdade Metropolitana de Maringá (2015), Mestrando em Psicologia (2017-2018) pelo Programa de Pós Graduação da Universidade Estadual de Londrina (UEL), vínculo com o departamento de Psicologia e Psicanálise (UEL) e no Laboratório de Pesquisa em Psicanálise ( LEPPSI) da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Atuação como Psicólogo Clínico em consultório particular desde 2016, com atendimentos de adolescentes e adultos. Apresenta interesse nos temas: Psicanálise, Metapsicologia, Psicanálise e cultura, Mitologia, Arte e Criatividade. Estudos orientados pelas Obras de S. Freud e D. Winnicott.

Maíra Bonafé Sei, Universidade Estadual de Londrina

Possui graduação em Psicologia pela Universidade de São Paulo (2002), graduação em Licenciatura em Psicologia pela Universidade de São Paulo (2004), mestrado (2004), doutorado (2009) e pós-doutorado (2017) em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professor adjunto do Departamento de Psicologia e Psicanálise, Orientadora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia e Diretora da Clínica Psicológica da Universidade Estadual de Londrina. É membro da Association Internationale de Psychanalyse de Couple et Famille - AIPCF e da Associação de Arteterapia do Estado de São Paulo - AATESP desde 2006, membro da diretoria da Associação Brasileira de Psicanálise de Casal e Família desde 2017 e membro da diretoria da Associação Brasileira de Editores Científicos de Psicologia desde 2018. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Intervenção Terapêutica, atuando principalmente nos seguintes temas: arteterapia, casal e família, psicanálise, Winnicott, serviços-escola de Psicologia e saúde mental.

Publicado
2018-10-02