A Ressurgência clínica

a poética enquanto memória subjetiva e social

  • Flávia Angelo Verceze Universidade Estadual de Londrina
  • Vivian Karina da Silva
Palavras-chave: clínica sociopolítica; poética, psicanálise

Resumo

O presente trabalho pretende apresentar uma experiência em construção de uma clínica ressurgente. Tal proposta parte dos pressupostos teóricos de Freud a Lacan, que entende o sujeito do inconsciente em relação à esfera pública. Trata-se de uma clínica pela via do campo sociopolítico, a partir da noção do analista que transita nos lugares geograficamente, podendo ser convocado a trabalhar nos territórios subjetivos marcados pela lógica da exclusão social. Desta maneira, esta clínica é permeada pelo desejo do analista de estar fora do modelo econômico monetário, que vai de encontro às questões relacionadas às desigualdades sociais enraizadas no processo histórico do Brasil, o que identificamos como um posicionamento político em relação à psicanálise. Foram realizadas 17 oficinas ao longo dos anos de 2017 e 2018 em vários espaços públicos da cidade, que tinham a arte literária como ferramenta de subjetivação, uma aposta de que a poética de cada um possa ser uma forma de (re)contar a própria história, fazer vacilar imposições dos discursos sociais excludentes para surgimento da verdade do sujeito como processo transformativo.

Publicado
2018-10-02