Os Movimentos sociais e a universidade:

interfaces

  • Amanda Gaion Pedro Universidade Estadual de Londrina
  • Jovana Cestille Movimento dos Trabalhadores Rurais (MST)
  • Melissa Campus Coletivo ElityTrans e Translúcida
  • Teresa Mendes Terreiro Ylê Asé Ayra Kinibá
Palavras-chave: Movimentos Sociais; Universidade; Psicologia

Resumo

O debate teve como objetivo proporcionar reflexões acerca das interlocuções entre os movimentos sociais da cidade de Londrina e a Universidade, tendo em vista que este lugar é produtor de conhecimento e tem como princípio a defesa por diferentes formas de vida. Essa intersecção com a universidade, principalmente com o curso de Psicologia que proporcionou a realização de tal encontro, faz com que os profissionais desta área, os docentes e os estudantes, reflitam suas práticas e ações acerca das reivindicações de direitos, que muitos grupos tratados de forma marginalizada e estigmatizada ao longo da história requerem cotidianamente. Fizeram parte desta discussão  três mulheres militantes de movimentos sociais sendo elas: Jovana Cestille, Movimento dos Trabalhadores Rurais (MST), Melissa Campus, participante do coletivo ElityTrans e Translúcida e, por fim, Teresa Mendes,  agente ativa do movimento negro de Londrina-PR, participante do Terreiro Ylê Asé Ayra Kinibá e conselheira municipal pelos direitos da mulher e de cultura. 

Publicado
2018-10-01